Translate

24 de junho de 2017

  ♥ A gratidão tem prazo de validade? ♥
 





A necessidade que as pessoas sentem de anunciar gratidão eterna com frases padrão como "O senhor vai estar para sempre nas minhas orações" ou a menos religiosa "Enquanto eu viver, vou agradecer todos os dias o que o senhor fez por mim!" expressa apenas o desejo inicial de que este sentimento se perpetue além do prazo exíguo que o tempo, um incorrigível borrador das boas lembranças, permitirá.
....................................................................

A Eulália trabalhava como representante de uma marca de produtos de beleza, que vendia de porta em porta. Numa dessas andanças, foi atropelada, sofreu lesões graves, esteve intubada durante semanas, recebeu uma traqueostomia e, depois de dois meses, foi para casa com esse buraco no pescoço porque um estreitamento alto na traqueia impedia a passagem de ar.

Respirando por essa abertura e incapaz de emitir qualquer som, foi aposentada por invalidez.

Cinco anos depois, quando a conheci no ambulatório do SUS e lhe disse que era possível reconstruir a passagem do ar de modo que ela pudesse respirar pela via normal e voltar a falar, ela me abraçou agradecida.

Mesmo descontada a taxa de exagero que muitas vezes macula essas reações, aquele choro parecia do bem.

Uma semana depois da cirurgia, respirando pelo nariz e se comunicando com uma voz levemente rouca, ela teve alta hospitalar.

Na despedida, profundamente emocionada, jurou amor eterno, beijou-me as mãos abençoadas, e voltou para a vida. Ela parecia muito feliz, e eu estava, por ela e por mim.


Oito meses depois, recebi uma intimação para depor numa audiência em que uma paciente requeria indenização por danos morais porque, como consequência de uma operação que eu fizera, ela ficara com uma voz rouca, que lhe reduzia a condição funcional como vendedora.

O advogado leu o arrazoado enquanto a Eulália encarava o assoalho.

A juíza, estupefata e incrédula, pediu que ela resumisse a história e perguntou o que a movera a entrar com esta ação, e ela confessou:

"Eu não queria processar o doutor porque ele foi muito bom comigo, mas o meu vizinho, que é advogado, me explicou que eu tinha direito a indenização porque o doutor deve ter feito alguma coisa errada, senão a minha voz teria ficado normal".

Arquivada a denúncia por ridícula e improcedente, fomos liberados. O tom de voz alto e forte com que ela anunciou a justificativa era o meu melhor elemento de defesa. Com aquela voz, ela venderia qualquer coisa. Menos dignidade, porque o estoque tinha acabado.


Voltei para o hospital aliviado, mas desconfortável.

O desafeto machuca mais do que qualquer pedido de reparação financeira.

Desconfio que a Eulália sabia disso, porque em nenhum momento ela me olhou. A vergonha, como se sabe, coloca chumbo nas pestanas dos envergonhados.

 J.J. Camargo


* Li esse texto  AQUI- e  fiquei pensando..
Quanta ingratidão e injustiças!  
Sejamos gratos com quem alguma coisa faz por nós e sobretudo justos!
Deu sentimento de vergonha alheia! 
Li, gostei e por isso compartilho pra reflexão!

Ela, a protagonista, "não queria" processar, mas apareceu um "amigo advogado" então não titubeou!  Adorei o final! 
Aí sim, a justiça foi feita!

Lindo domingo! bjs, chica

22 comentários:

  1. Boa noite Chica
    Um belo texto para reflexão. Escutaremos durante a vida muitos agradecimentos, mas os verdeiros, estes serão raros. Muitas pessoas agradecem por motivos errados, como interesse etc. Mas eu acredito de verdade na gratidão verdadeira, aquele ao qual abrimos o nosso coração e nessa situação devemos agradecer sim e muito e pedi a Deus para que a pessoa em questão receba graças Divinas. Quanto a esse texto, que horror, como pode uma pessoa agir assim, que bom que foi feito justiça, imagino a decepção do medico. Um feliz domingo. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Sem comentários, Chica porque parece hoje em dia ser normal fatos assim e que não combinam em nada com nossa formação recebida no berço! Um feliz domingo! Beijinhos!

    ResponderExcluir
  3. Chica, nós conhecemos o Dr Camargo, sim, é daqui de Porto Alegre, um grande médico e muito humano. Currículo invejável. Lógico que a gratidão nessa pessoa tinha prazo limitado, chegou alguém e acenou a ela com uns trocados e foi-se a gratidão! Aliás, um sentimento que abomino. Odeio.
    Bela essa tua postagem, e como acontece!!
    Beijo, uma boa semana!

    ResponderExcluir
  4. É incrível como o ser humano esquece o bem que lhe foi ofertado. Muito real, infelizmente. bjs

    ResponderExcluir
  5. Nossa Chica um caso e uma das mais terrível forma de ingratidão, que só o ser humano pratica. Incrível como o ser humano tem esta capacidade de se deixar levar e experimentar os piores sentimentos. E vejo que é real pelo comentário da Taís.
    Muito boa partilha Chica.
    Bom domingo de paz e alegria e que sejamos gratos desde o amanhecer.
    Meu terno abraço.

    ResponderExcluir
  6. Que relato tão incrível. Como um ser humano pode ser tão ingrato. Em espanhol decimos "de bien nacido es ser agradecido" a gratitude e innata em todas as pessoas.
    Bom domingo! Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Reflexão ótima! Gratidão verdadeira age com sinceridade. Há cada uma por aí de arrepiar...
    Um abraço grande...

    ResponderExcluir
  8. Um relato que nos mostra a ingratidão humana! A expressão máxima de não conseguir olhar "olho no olho"... define a máxima ingratidão... Nada nos conforta, apenas o sabermos que fizemos o melhor...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde, Chica.
    Até agora sem acreditar que existam pessoas assim, contudo, sei que andam por aí bem próximas a nós.
    Gratidão verdadeira, como tudo tem de ser.
    O médico deu vida nova a ela, antes,sem perspectivas.
    Como foi pobre de espírito e influenciada pela ganância.
    Excelente texto.
    Parabéns pela escolha.
    Tudo de bom.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  10. Chica gratidão não tem prazo mas ingratidão deveria ter!!!
    Uma história de vida!!! Bj

    ResponderExcluir
  11. Amiga Chica li e fiquei aterrada daquilo
    que o ser humano é capaz!!!
    Realmente até custa fazer o bem
    para em troca receber o mal.
    Amiga desejo muito que se encontre bem.
    Bjs.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  12. Estamos passando por momentos difíceis em nosso país onde a dignidade é corrompida a todo instante porque já foi maculada desde o indivíduo que sempre quer "ganhar" seja qual for a situação.
    Belo texto para reflexão.
    Desejo-lhe uma linda semana.
    beijos no coração.
    Joelma

    ResponderExcluir
  13. Que história Chica!
    Mas existem pessoas dessa forma,não sabem agradecer o que foi feito de bom,no caso um atendimento médico.
    Mas infelizmente aí houve o desejo de querer mais,que seria provavelmente o dinheiro.
    Adorei ler.
    bjs-Carmen Lúcia

    ResponderExcluir
  14. Boa noite Chica,
    Esse pode não ser o caso,
    mas infelizmente tem muito advogado que
    consegue convencer pessoas
    simplórias a processar mundos e fundos,
    só pra tirar dinheiro dos outros...
    Ainda bem que o médico não se
    prejudicou profissionalmente
    com essa denúncia infundada.
    Mas a ingratidão não se apaga...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Uma história verídica e que parece incrével!
    Se o acidente não afetou o encéfalo, a criatura é daquelas que se vende por tostões...
    Desprezível e deveras lastimável.
    Beijos, estimada Chica.
    ~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  16. Uma história verídica e que parece incrével!
    Se o acidente não afetou o encéfalo, a criatura é daquelas que se vende por tostões...
    Desprezível e deveras lastimável.
    Beijos, estimada Chica.
    ~~~~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
  17. Bom dia, Chica!
    Este médico,além de competente e bondoso, é um ótimo escritor! Escreveu coisas que eu gostaria de ter escrito, mas nunca esta forma tão clara!
    Quanto à atitude da paciente, infelizmente estamos cheios de "Eulálias" ao nosso redor...Mas, nem por isso deixemos de fazer o bem! Se há ingratidão, é porque alguém antes disso, foi generoso. Isto é o que importa. beijos
    Neli

    ResponderExcluir
  18. Gracias por su visita de nuevo por aquí Saludos

    ResponderExcluir
  19. Bom dia Chica, esse tipo de acontecimento é bem peculiar às pessoas de má fé e gananciosas, e influenciadas por um profissional sem ética que visa o lado financeiro. Realmente é preciso ter cuidados com as "Eulálias", o mundo está cheio delas.
    Bjss!

    ResponderExcluir
  20. Muito boa partilha, Chica!
    Vivenciamos isto diariamente. O ser humano erra e feio, deixando muitas vezes se levar pela cobiça e não pelo certo... Coisas deste tipo acabam fazendo muitos perder a fé no ser humano, deixando de distribuir amor.
    Acredito que gratidão como todo bom sentimento, é treinável. Com o tempo, aprendemos a não esperar a reciprocidade e assim fica mais fácil continuar caminhando na vida.

    Obrigada pelo carinho com as tags.
    Feliz final de semana, tudo rosa no seu domingo (adoro esse template, já falei!!! rsrs).
    Abraços esmagadores.

    ResponderExcluir
  21. Magnifique.

    Ô temps...suspend ton vol, dit le poète.

    Belle journée, Chica.
    Je t'embrasse.

    Roger

    ResponderExcluir
  22. Enquanto dei pausa no blog, não li muitos dos seus textos. Esse é um deles. Fico pasma com o que as pessoas fazem uma com as outras, seja pelo dinheiro , seja pela falta de berço mesmo. Lembro uma vez que uma amiga de uma amiga devido a um atropelamento , parou o carro na estrada para ajudar . O causador , fugiu. Ela socorreu. Foi uma desgraça, pois os atropelados, eram vários e a processaram depois de extorquirem . Foi ajudar e se viu envolvida num processo. Graças a Deus, alguém deu causa ganha para ela, mas foi como esse caso: decepção. E no caso dela gastos e muitos gastos.

    bjs

    ResponderExcluir