Translate

30 de novembro de 2014

♥ Clareza... ♥



"Quando paramos para pensar, avaliar e considerar qual é o nosso dever, ou qual, entre muitos deveres, deve ser cumprido primeiro, ficamos realmente perplexos e é difícil saber o que fazer.

 Mas se você fizer apenas o que está diante de você, sem pensar em todas as outras coisas, e sem perturbar a sua mente com todas as coisas que não consegue fazer, então será diferente, e tudo ficará mais claro para você. "


* “Letters That Have Helped Me”, William Judge, Theosophy Company, Los Angeles, 1946, 300 pp.

23 de novembro de 2014

♥ Na estrada ♥




Caminho um pouco pra trás
Pra poder seguir em frente,
Não quero ser muito mais
Desejo apenas ser gente.

Cultivar bons sentimentos,
Aprender a perdoar,
Vigiar meus pensamentos,
Saber a hora de parar.

Ás vezes vou devagar,
Em outras, sigo apressada
Continuo a caminhar
Não desisto da empreitada.

Alguns milímetros avanço
Se não consigo voar
O objetivo alcanço
Quando prontinha eu ficar.

Na vida nada acontece
Antes da hora acertada
Meu espírito agradece
Por caminhar nesta estrada!




* Para matar as saudades da nossa querida ANNE LIERI que está numa pausa com os seus blogs, trago essa bela e profunda mensagem em poesia para fazer companhia no  domingo e semana de todos que aqui passarem!  

bjs, chica

16 de novembro de 2014

♥ Paz ♥



Em meio ao corre-corre das nossas vidas, muitas vezes nos vemos completamente enrolados pela vida exterior.

Nela, tudo está a descoberto, é passível de ser visitada e explorada.

Temos tudo à nossa disposição, todos os instrumentos para isso: máquinas modernas e tudo mais para facilitar nossos trabalhos e a comunicação com outras pessoas...

Os sinais exteriores ficam cada vez mais visíveis e há quem faça das tripas o coração, para cada vez mais adquirir, adquirir e adquirir...

Depois, rodeados daquilo tudo que adquiriram lá fora, ao ficar sozinhos, se perguntam :o que mais eu quero? Aonde mais quero chegar?

Chega uma hora que, por força, deve encarar e olhar para o seu interior...

Isso ocorre de forma simples, não necessita nenhum aparato ou aparelho...

Para uns, só com o silêncio, outros, já são capazes de entrar em contato com seu interior até em meio de uma banda de música estridente...

O importante para tanto, é apenas a paz que temos e estamos sentindo.

Ela nos possibilita olhar e falar com a vozinha interior e então nos encontrar.

Essa vida é só nossa, mas ao mesmo tempo, é universal.

Ao ouví-la, cabe a nós, abrir e dar espaço à ela.

Assim, só assim, podemos enfrentar tudo o que nos espera "lá fora", já que nos acalma e fortalece.

Chica

9 de novembro de 2014

♥ Voos... ♥



Que nunca percamos a vontade de voar!

Não devemos deixar ou permitir que cortem as nossas asas, tirando essa vontade de alçar voos.

Sem ela, nos acomodaremos simplesmente e estagnaremos.

chica

2 de novembro de 2014

♥ Mente ... ♥





"Quando aquietamos nossa mente, percebemos o movimento natural da vida, e passamos a necessitar de um maior contato pessoal com a natureza em sua diversidade. Deixamos de lado, então, nossas ambições. Elas parecem um casaco velho que já não é possível remendar, porque o próprio tecido – feito de vaidade – apodreceu irremediavelmente devido ao contato com a nossa consciência superior e interna.


A nuvem, o pássaro, o vento, a formiga e o nascer do sol não conhecem o egoísmo, mas vivem no território da harmonia universal. Quando alguém vai para o campo e não consegue relaxar, é porque tem dificuldade de interromper o filme repetitivo da preocupação consigo mesmo, que o ritmo acelerado das grandes cidades cria em cada um. Mas quando temos uma necessidade interior de parar, uma ou mais vezes por dia, para ampliar o contato com a vida universal e com o nosso eu superior, então podemos dizer que estamos colaborando conscientemente com o planeta e com o nosso próprio progresso espiritual.


À medida que ampliamos nossa capacidade de beber na fonte de águas puras que há no nosso interior, começamos a ver o mundo externo de forma diferente. Nossos pensamentos passam a ser naturalmente positivos, embora tenhamos um forte sentido crítico, sem o qual não poderia haver o indispensável discernimento.


Já não necessitamos de estímulos externos para manter o ânimo elevado que brota de dentro de nós. Podemos passar a ser uma fonte de otimismo realista e de vida espiritual autêntica, mas também de testes, para as pessoas com quem convivemos, sem necessidade de fazer propaganda ou proselitismo."


*Trecho do livro "A Vida Secreta da Natureza", de Carlos C. Aveline- Ed. Bodigaya